Home / Autores / Aluísio Azevedo. Biografia, principais obras

Aluísio Azevedo. Biografia, principais obras

RESUMO

Aluísio Azevedo foi o maior representante do naturalismo na literatura brasileira. Foi com o livro “O Mulato” que o autor apresentou as primeiras marcas do movimento literário ao público, assim como as críticas à escravidão. Seguiu a linha naturalista também na obra “O Cortiço”. O autor maranhense ainda atuou como jornalista e caricaturista, devido ao talento para o desenho.

Apesar da relevância que Aluísio desfrutou na literatura, acabou optando por atuar como diplomata. Os últimos anos de vida do escritor, inclusive, não foram dedicados aos livros e sim à vida como diplomata e enfim cônsul, residindo em Buenos Aires.

Na Academia Brasileira de Letras, Azevedo fundou a cadeira nº 4, que tem Basílio da Gama como patrono.

MOVIMENTO LITERÁRIO

Aluísio chegou a publicar textos com características românticas, que vendiam com mais facilidade e agradavam o público. Porém, o movimento que marcou o autor foi o naturalismo, presente em suas obras mais importantes.

Estilo
Como representante do naturalismo, o autor utiliza expressões animalescas para descrever os personagens e suas atitudes. Aluísio fazia uma análise da sociedade sem moralismos. Era comum encontrar em suas obras críticas à sociedade brasileira e ao preconceito racial.

As casas de pensão, onde moravam muitas pessoas humildes, foram retratadas por Aluísio em uma de suas obras mais aclamadas, “O Cortiço”. Além da exploração dos portugueses e o preconceito racial, temas constantes do autor.

BIOGRAFIA

Aluísio Azevedo conviveu com o preconceito desde muito cedo. O relacionamento dos pais, David Gonçalves de Azevedo e Emília Amália Pinto de Magalhães, era julgado pela sociedade tradicionalista, já que David era viúvo, Emília separada e os dois não oficializaram a união. Nascido em São Luís do Maranhão, o jovem foi cursar a Academia Imperial de Belas Artes em 1876, no Rio de Janeiro.

Com grande talento para as artes, em especial para desenho e pintura, chegou a trabalhar com caricaturas. Seus desenhos eram publicados em: “Zig-Zag”, “A Semana Ilustrada”, “O Figaro” e “O Mequetrefe”.

Volta-se para a literatura por motivos financeiros. Com a morte do pai, em 1878, precisa retornar ao Maranhão para ajudar os familiares. Com isso, encontra na escrita um sustento. A primeira publicação, com características do romantismo, é “Uma lágrima de mulher”. Mas a obra que reflete melhor as características literárias do autor é “O Mulato”, texto em que a questão abolicionista é tratada sem pudores. É o começo do naturalismo no Brasil. Nessa época, 1881, o autor volta ao Rio e passa a produzir peças, contos e romances.

Suas convicções abolicionistas fizeram com que o autor colaborasse com “O Pensador”, um jornal anticlerical que publicava textos em favor da abolição da escravatura. Como era caricaturista, costumava desenhar seus personagens antes de escrever para visualizar melhor como seriam as histórias.

Em 1895 foi nomeado diplomata e passou por vários países, entre eles Argentina, Itália, Inglaterra e Japão. Vinte anos depois, Aluísio foi morar novamente em Buenos Aires como cônsul de primeira classe. A literatura foi deixada de lado.

Fontes
Academia Brasileira de Letras
Wikipedia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *