Home / Filhos da Viúva / A Maçonaria e o Cristianismo

A Maçonaria e o Cristianismo

Ao apresentarmos um trabalho a nossa intenção em expormos é acima de tudo transmitir a verdade maçônica, pois, segundo JAURÉS, é mais importante dizer a verdade do que ser ministro. Além disso, é óbvio, que o primeiro e talvez maior beneficiário das bênçãos que esparge seja o expositor; a maneira do frasco de perfume, ainda que doe todo o seu conteúdo, jamais perde a fragrância.

Todos os irmãos aqui presentes, sabem de cor e salteado que a maçonaria é boa e digna de apreço, onde está, no que é, no que pretende fazer, no que executa. É esplêndida organização social, filantrópica e de benemerência humana, terrena e temporal. O Cristianismo é ótimo, é superlativamente sublime, é único e impar, digno de máximo apreço, como está, no que é, no que faz e no que será para todos os tempos; a religião divina, a fé revelada indestrutível, o Evangelho Consolador nascido das chagas do verbo santo, a magistral obra maior do Nazareno, filho maior de Deus nosso Pai. Poderemos, também, afirmar de uma forma simples, e, ao mesmo tempo, reta, lógica e efetiva; a Maçonaria não é, não quer ser, não deseja ser o Cristianismo; O Cristianismo não é, não pode ser e não quer ser a Maçonaria. Maçonaria=(igual) Cristianismo? NÃO. Maçonaria +(mais) Cristianismo? Também não. Maçonaria -(menos) Cristianismo? De modo algum. Maçonaria contra o Cristianismo? JAMAIS. O conceito reunido seria Maçonaria e Cristianismo. São duas entidades, duas associações, sob o aspecto militante, duas existências limpas no campo de ação, duas corporações próprias. Uma é ordem(no clima social). Outra é Igreja(no setor espiritual). Uma é esforço humano, em prol dos homens, para o bem humano. Outra é força divina, pão do céu, manjar eterno, para o homem em todos os tempos, agora e para sempre, para o presente e o futuro. para corrigir e salvar. Uma é mão amiga para os amigos. Outra é mãe espiritual(simbolicamente), mãe de almas, amigas e inimigas. A maçonaria é o fruto. O Cristianismo é a árvore que dá esse fruto. Há na Maçonaria anseios de fé, gritos de esperança, reflexos da imortalidade, hinos de espiritualidade, cópias de verdades reveladas, a BUSCA DO BEM. A Maçonaria não é o Cristianismo; o Cristianismo não é a Maçonaria. Ambos são o que são, no seu lugar, na sua estrutura, na sua origem, nas suas finalidades, nos seus estatutos, nos seus limites, na sua razão de ser. Não brigam entre si. Não colidem. Não usurpam terrenos um do outro, não se contrariam. Absolutamente não. Se a Maçonaria exige juras, que mal vai nisto? Não as exige o Estado, a Família, a própria Igreja? Podemos afirmar com segurança que a Maçonaria é útil e que o Cristianismo é ótimo. Aquela, como Associação de ORDEM natural. Esta, como estruturação de Ordem sobrenatural. Na Maçonaria a gente aprende a viver em sociedade e com a sociedade. No Cristianismo a gente aprende a viver com DEUS e com a família humana. Ambas são úteis e imprescindíveis ao desenvolvimento humano.

O filósofo e matemático PITAGORAS afirmava assim: ‘AMICUS PLATO, SED MAGIS AMICA VERITAS”, traduzindo entende-se, “CALA-TE, OU DIZ ALGUMA COISA QUE VALHA MAIS QUE O SILÊNCIO”.

Aconselham os estudiosos da Maçonaria que seremos eternamente aprendizes, nunca subestimemos a gama infinita de sabedoria ainda pôr explorar, além de tudo os chineses dizem que, quando se chega ao cume, qualquer movimento é para baixo. Parem, irmãos! Qualquer envaidecimento poderá ser fatal ao nosso desenvolvimento. HUMILDADE SEMPRE E SEMPRE.

Quando ingressamos na Maçonaria, não o fizemos seduzido pela maçonaria ideal, poética, mas, simplesmente pela índole sublime, liberal e milenar, onde observamos esta sublimidade no livro “ O PAPA NEGRO”, cujo espírito de solidariedade e fraternidade entre os maçons é de uma super compreensão humanitária, com vigoroso ideal no sentido de aproximar os homens de todos os matizes, a despeito das diferenças que os possam separar. Podemos, ainda, observar o acervo de benefícios que a Maçonaria tem prestado a humanidade, além de inúmeras conquistas no campo social, político e filantrópico, jamais superadas por qualquer outra instituição, com exceção, é óbvio, do Cristianismo. O que encontramos aqui dentro, excedeu a nossa expectativa: ambiente sadio, acolhedor e amigo, oportunidades valiosas e freqüentes para o exercício da filantropia desinteressada.

No Cristianismo cultivamos a fé, dando ÊNFASE AO ESPIRITUAL. Na Maçonaria encontramos diversas oportunidades de fazer o bem, praticar boas obras, pois ela exalta a beneficência desinteressada, a educação, o progresso e estabelece de forma definitiva o culto ao dever e a obediência. Assim, não procede a afirmação caluniosa de há muito ser a Maçonaria rival do Cristianismo. Se assim fosse, então o ROTARY, o LIONS, e várias outras associações de benemerência, operantes entre nós, seriam de fato rivais do Cristianismo, e, portanto, mereceriam a nossa formal repulsa. Entretanto, tal fato não ocorre, conforme constatamos na realidade. Muitas inverdades foram lançadas contra o Cristianismo à época de JESUS e muitas perseguições aconteceram como é do conhecimento de todos os maçons. Existem, ainda hoje, muitas mentiras divulgadas contra a nossa Ordem, quais sejam:

a) PENA DE MORTE na Maçonaria, inclusive, dizem que possuímos uma legislação específica sobre o assunto. Apenas a título de ilustração, pesquisamos no Dicionário Enciclopédico Abreviado da Maçonaria, de ABRINES, considerado o mais minucioso pesquisador da história maçônica, que nos relata a história do Capitão do exército americano chamado MORGAN -maçom que nos USA no século XIX, provocou um incidente planejado pelo CAPITÃO e Editores ricos e famosos, que durante muito tempo trouxe lamentáveis conseqüências a ORDEM. Em 1826, na LOJA DE NOVA IORQUE, denominada “A RAMA DE OLIVEIRA”, da qual era membro apesar da quase metade dos irmãos votarem contra a sua entrada, fundamentada na sua conduta pouco recomendada. E lá dentro, decretou-se sua expulsão e para revidar anunciou publicar um livro escandaloso revelando os segredos da ORDEM de uma forma presunçosa e caluniosa. Este fato provocou a indignação dos maçons. Após publicar seus escritos, Morgan desaparece misteriosamente. Os inimigos gratuitos da Ordem informavam que este fora seqüestrado e assassinado por membros da Ordem. A partir deste dia iniciou-se uma intensa campanha de descrédito contra a Maçonaria. Esta agitação anti-maçonica durou muitos anos sendo as Lojas nos USA obrigadas a suspender suas reuniões em face de clima tenebroso da população contra a Ordem. Pouco a pouco a campanha contra a Ordem foi decaindo e totalmente anulada em 1832, quando se provou e comprovou que Morgan vivia tranqüilamente na TURQUIA onde gastava uma fabulosa soma de dinheiro recebido dos caluniadores e afobados editores do seu livro. O cadáver encontrado no lago ONTÁRIO de NOVA IORQUE não era de Morgan como se supunha. Assim como ocorre de vez em quando encontra-se cadáver no rio TIETÊ, em SÃO PAULO, sem conseguir-se identificá-lo. Observamos, em verdade, que a PENA DE MORTE é tão verdade dentro da Maçonaria como a lenda do BODE PRETO para amedrontar os neófitos. Pessoas existem que não se conformam face a posição que a maçonaria ocupa no mundo, procurando desmontá-la, desmoralizá-la, sempre insistindo nesta tecla de inverdade.

Por todos os confins da Terra, há cristãos filiados a SUBLIME ORDEM, sem que apareça problemas de incompatibilidade. Por exemplo, na Loja AMIZADE, de São Paulo, no ano de 1958, sendo Venerável o Padre católico-romano FORTUNATO GONÇALVES PEREIRA DE ANDRADE, foi resolvido que se emprestasse as salas externas do TEMPLO MAÇÔNICO aos irmãos maçons-protestantes, para os mesmos aos domingos celebrassem os cultos de sua religião, um exemplo admirável de verdadeira compreensão, tolerância e amor. Este é apenas um exemplo dos milhares que existem pelo mundo afora de religiões que funcionam em prédio da LOJA. Quem desapaixonadamente perlustrar, pesquisar a história da maçonaria verá que Ela só foi combatida pelos totalitários, incompetentes, corruptos, quer políticos, quer religiosos, de todos os tempos. Apenas para ilustração, para rememorar neste século tivemos as investidas de personalidades mundialmente conhecidas como Salazar, em Portugal, Mussolini, na Itália, Hitler, na Alemanha e Franco, na Espanha.

Comenta-se que alguns cristãos inadvertidamente, afirmam que o Cristo não tem acesso a Maçonaria. Em verdade, sabemos que as atividades dos maçons se conduzem por linhas de ética cristã. Achamos, contudo, que o Nazareno muitas vezes, não tem ingresso em certos templos exclusivistas, onde imperam preconceitos dos mais diversos que apenas servem para separar os homens, como nos conta aquela anedota americana de um negro que, nos USA se queixava a JESUS, em oração, de que estava acabrunhado por não ter sido admitido em certa Igreja, ao que o Mestre lhe respondeu: NÃO TE DESANIMES, PORQUE EU TAMBÉM NAO O CONSEGUI.

O Cristianismo teve seu nascimento a mais de dois mil anos atrás, com JESUS. A Maçonaria nasceu da grande necessidade de união e associação entre os homens primitivos há vários milhares de anos, ou mesmo como se supõe, no EGITO há cerca de dez mil anos. O que é certo, porém, é que A ORDEM dois mil anos antes do REI SALOMÃO, tomou forma regular e depois de muitos anos é que se consolidou , chegando a ter, em vários países, como aqui tem, Personalidade Jurídica.

A mais violenta cisão da Igreja Romana com a Maçonaria resultou de pretender o PAPA CLEMENTE XII que a Instituição maçônica abrisse guerra contra os Protestantes. E dai, data toda essa criação de cismas que chega aos nossos dias de uma forma pálida de caráter quase irreconciliável. No entanto, no Brasil, contou a Maçonaria como seus filiados, vários Prelados, Padres de alto saber e profunda moral religiosa e privada, entre eles destacamos o PADRE ANTONIO DIOGO FEIJÓ, além de inúmeras e ilustres figuras. Mas, a MAÇONARIA não tem culpa desse conflito. Ela sofre as conseqüências do seu sadio idealismo, que não transgride com o dever e o direito, CUSTE O QUE CUSTAR. Na política, pugna pela liberdade; na religião pelo pensamento livre; e na moral, pelo amor e pelo bem da humanidade.

Sempre é bom exemplificar: A MAÇONARIA foi responsável por dois grandes eventos máximos da história da humanidade que foram a QUEDA DA BASTILHA e a QUEDA DA INQUISIÇÃO. Na QUEDA DA BASTILHA, proclamou-se os direitos do Homem, sonegados pela tirania secular. Na QUEDA DA INQUISIÇÃO, proclamou-se a liberdade de consciência, que implicava no recuo de três séculos de dor, morte e destruição, sob o inominável despotismo dos AUTOS DE FÉ. A REVOLUÇÃO FRANCESA(14 de julho de 1789), de cujo movimento libertador surgiu o grande lema da Maçonaria LIBERDADE – IGUALDADE – FRATERNIDADE, além da DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM. Foi a vitória da maçonaria cujos princípios fundamentais são: OS HOMENS NASCEM E SE CONSERVAM LIVRES E IGUAIS EM DIREITO. SÃO DIREITOS DO HOMEM: A LIBERDADE, A PROPRIEDADE, A SEGURANÇA E A RESISTÊNCIA A OPRESSÃO. TODOS TEM O DIREITO DE CONCORRER, POR SI E POR SEUS REPRESENTANTES, PARA A FORMAÇÃO DA LEI. NINGUÉM PODE SER CONSTRANGIDO A FAZER SENÃO O QUE A LEI ORDENAR… TODOS PODEM FALAR, ESCREVER, IMPRIMIR LIVREMENTE, RESPONDENDO CADA UM PELOS ABUSOS QUE COMETER.

Enfim. o Cristianismo é o sistema religioso fundado por NOSSO SENHOR JESUS CRISTO e seguido pelos povos que se crêem os mais civilizados. Os ensinamentos do Cristianismo estão registrados nos 27 livros do NOVO TESTAMENTO e nos 39 livros do ANTIGO TESTAMENTO. O Cristianismo encerra as mais sublimes máximas, e, vejamos algumas máximas:

FAZEI AOS OUTROS O QUE QUERAIS QUE ELES VOS FAÇAM.

AMAI OS VOSSOS INIMIGOS.

PERDOAI NÃO SOMENTE 7 VEZES, MAS SETENTA VEZES SETE(isto é, sem limites)

AMA A TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO E A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS.

NÃO JULGUEIS, PARA QUE NÃO SEJAIS JULGADOS…

E OUTRAS MÁXIMAS DE ALTO PADRÃO MORAL.

A Maçonaria na sua Constituição, no seu artigo primeiro, assim a define:

A MAÇONARIA É UMA INSTITUIÇÃO ESSENCIALMENTE CARITATIVA E FILANTRÓPICA, FILOSÓFICA E PROGRESSISTA, QUE TEM POR OBJETIVO A INDAGAÇÃO DA V E R D A D E, O ESTUDO DA MORAL E A PRÁTICA DA SOLIDARIEDADE, TRABALHANDO PELO MELHORAMENTO MATERIAL E MORAL E PELO APERFEIÇOAMENTO INTELECTUAL E SOCIAL DA HUMANIDADE.

Finalizando, poderíamos citar várias definições de estudiosos do CRISTIANISMO e da ORDEM MAÇÔNICA, mas, para última apreciação registramos a penas a opinião do PADRE M. BERNARDES.

“OS FINS DA MAÇONARIA EM NADA SÃO OPOSTOS AOS DOGMAS DA RELIGIÃO DE JESUS CRISTO E, SE FOSSEM, EU SERIA INDIGNO MINISTRO OCUPANDO UM LUGAR EM MEIO DESSES HOMENS. A MÓVEL MAÇÔNICA É TODA SANTA, E O DIVINO MESTRE FOI O MAIS FIEL DOS SEUS ADEPTOS”.

bibliografia:
A MAÇONARIA E O CRISTIANISMO
O PAPA NEGRO
DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO ABREVIADO DA MAÇONARIA
LENDAS MAÇÔNICAS.

Fonte: http://blogoaprendiz.blogspot.com.br/2011/04/maconaria-e-o-cristianismo.html

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *