Home / Ao Pé da Letra / O emprego dos porquês. Elimine suas dúvidas

O emprego dos porquês. Elimine suas dúvidas

EMPREGO DOS PORQUÊS

O emprego dos porquês é um tema muito recorrente nos estudos da Língua Portuguesa. Elimine todas as suas dúvidas sobre o assunto e saiba quando usar a grafia correta.

1. Usa-se por que:
?nas frases interrogativas diretas e indiretas:
“Por que tanto suor e carinho no cultivo daquele chão que aparentemente só dá pedra, espinho e garrancho?” (Rachel de Queiroz)
Quero saber por que a vida não me proporciona alegria.

?sempre que estiverem expressas ou subentendidas as palavras motivo ou razão:
Não sei por que ele não me respondeu. (por qual motivo, por qual razão)
Eis por que a leitura não me agradou. (por qual motivo, por qual razão)

?quando a expressão puder ser substituída por pelo qual, pela qual, pelos quais, pelas quais:
As ruas por que passamos eram intransitáveis.

2. Usa-se por quê:
?Quando a expressão aparecer em final de frase ou sozinha:
“Está você aí se afogando em pouca água. Essa gente faz o que se manda, mas não vai sem pancada. E Marciano não é propriamente um homem.
– Por quê?
– Eu sei lá. Foi vontade de Deus. É um molambo”[…] (Graciliano Ramos)

3. Usa-se porque:
?Quando a expressão equivale a conjunções como pois, porque, uma vez que:
“Em situação de poço, a água equivale / a uma palavra em situação dicionária:
Isolada, estanque no poço dela mesma / e porque assim estanque, estancada;
e mais: porque assim estancada , muda/ porque com nenhuma se comunica […] (João Cabral de Melo Neto)

4. Usa-se porquê:
?Quando a expressão for substantivada, sinônima de motivo, razão:
O político negou-se a explicar o porquê da demissão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *