Home / Literatura / Resumo de Livros / Pai Contra Mãe. Resumo, contexto, análise e personagens

Pai Contra Mãe. Resumo, contexto, análise e personagens

Pai Contra Mãe

RESUMO

O conto Pai Contra Mãe tem início com uma explanação do autor a respeito de algumas atividades e produtos relacionados ao período da escravidão no Brasil, particularmente a repressão aos negros fujões: a máscara de ferro, que impedia a alimentação, era utilizada para afastar o vício da cachaça, que geralmente conduzia ao roubo; a coleira de ferro, castigo aplicado a escravos recapturados; para a produção de tais artefatos, recorria-se a funileiros e ferreiros, atividade então próspera. Outro ofício era o de caçador de escravos fugidos, ao qual se dedicavam aqueles que não encontravam sucesso em outra profissão. 
É o caso do protagonista, Cândido Neves. Depois de tentar, sucessivamente, os ofícios de tipógrafo, comerciante e entalhador, tornou-se caçador de escravos. A paixão pela moça Clara trouxe o desejo de constituir família e a ansiedade por uma ocupação mais estável e nobre. Clara vivia com uma tia, Mônica, a quem auxiliava na profissão de costureira, e que era contrária à união, pela falta de recursos do casal. Quando Cândido e Clara decidiram ter um filho, ela externou seu temor quanto aos problemas que a existência de mais uma boca para alimentar traria para a casa. Cândido e Clara, no entanto, insistiram.  
Os escravos fugidos já conheciam a fama da eficiência de Cândido; além disso, havia mais caçadores na praça, razões suficientes para diminuírem os vencimentos do rapaz. A gravidez de Clara avançava e Mônica sugeriu que eles entregassem a criança à Roda dos Enjeitados, local existente em instituições de caridade e que recebia filhos indesejados. O casal se pôs prontamente contrário a essa decisão.  
No entanto, as dificuldades, que já eram muitas, aumentaram com a pressão exercida pelo proprietário da casa onde residiam, que exigia receber em poucos dias o aluguel atrasado de três meses. Para remediar a situação, Mônica conseguiu alguns cômodos, de favor, na parte baixa da casa de uma conhecida. E conseguiu, por fim, convencer o jovem casal a aceitar a ideia de se desfazer do filho. 
A criança nasceu. Era um menino, e, com muita relutância, Cândido se dirigiu ao local onde ficava a Roda dos enjeitados. No caminho, deparou-se com Arminda, uma mulata que ele procurava há tempos, a devolução lhe traria a recompensa de cem mil-réis, dinheiro suficiente para suprir-lhe todas as necessidades. Apressadamente, deixou a criança em uma farmácia cujo proprietário conhecera na véspera e partiu na perseguição da escrava.  
Alcançou-a e a amarrou, levando-a consigo. A escrava revelou que estava grávida e que temia os castigos corporais a que seria submetida. Surdo a esses apelos, Cândido a entregou ao dono. No transe da luta para livrar-se, a mulher acabou abortando. Cândido recebeu o dinheiro da recompensa, apanhou o filho com o farmacêutico e voltou para casa com o menino.

CONTEXTO

Sobre o autor 
Machado de Assis é, reconhecidamente, o maior escritor brasileiro de todos os tempos. Embora tenha sido também poeta e dramaturgo, destacou-se na prosa de ficção, tanto no romance – como comprovam obras primas como Memórias Póstumas de Brás Cubas e Dom Casmurro – quanto no conto – como aqueles reunidos em Várias Histórias. 
Importância do conto
Pai contra mãe é um dos contos da antologia Relíquias de Casa Velha, composta por textos que o próprio Machado reuniu, publicando-os em 1906, dois anos antes de sua morte. Os contos evidenciam pleno domínio da técnica da narrativa curta e, acima de tudo, capacidade de retirar do episódico e do acidental um desdobramento amplo, de alcance humano. 
Período Histórico
Machado de Assis viveu na própria pele os problemas gerados pela escravidão no Brasil. O escritor era mulato e, por conta disso, enfrentou alguns preconceitos ao longo de sua vida. Mas a qualidade de sua arte e a força de sua personalidade foram suficientes para vencer todos os obstáculos.

ANÁLISE

O conto “Pai contra mãe” apresenta duas temporalidades distintas. Uma delas é aquela em que se coloca o próprio narrador, que fala de um momento posterior à abolição da escravatura no Brasil. A outra é a que diz respeito ao tempo da ação em si, que é anterior a esse fato. A estrutura do conto demarca essas duas temporalidades de forma explícita: o texto pode ser dividido em duas partes – a primeira, contendo uma explanação de caráter histórico informativo; e a segunda, que traz a narrativa. Assim, esta última assume a condição de ilustração do ponto de vista desenvolvido na primeira. É o que se pode chamar de exemplum, gênero literário medieval utilizado para adornar os sermões de pregadores da época.  

LEMBRETE

 

  • Em “Pai contra mãe”, dois traços típicos de Machado de Assis ganham destaque: em primeiro lugar, a prática da ironia; em segundo, a articulação entre enredo e as reflexões que ele aciona.

Na parte introdutória, o narrador trata de algumas práticas associadas ao período da escravidão, entre as quais aquela que será exercida pelo protagonista do conto – caçador de escravos. Na parte narrativa, desenvolve o tema, mostrando as angústias do protagonista no exercício de sua profissão. 

Como ponto comum às duas partes, temos a prática de um recurso muito frequente em toda a obra machadiana: a ironia. Logo no início, ao tratar da escravidão, ele afirma: “Eram muitos [escravos], e nem todos gostavam da escravidão. Sucedia ocasionalmente apanharem pancada, e nem todos gostavam de apanhar pancada”. Depois, na narrativa, o mesmo procedimento aparece: “[…] não davam que comer, mas davam que rir, e o riso digeria-se sem esforço”. Como se pode notar, manifesta-se aqui o humor sombrio típico do escritor.  

Mas a grande ironia fica por conta da situação em que é colocado o protagonista: para salvar a vida do filho, Cândido tem que entregar aos donos a mulata Arminda, que acaba por abortar. Na oposição entre eles, temos as mesmas razões de luta – a família, a prole – mas, para a satisfação de um dos lados, é preciso que o outro sofra. Na verdade, tanto Cândido quanto a mulata são vítimas do mesmo sistema: o escravismo. Assim, a crítica do conto tem seu alvo bem definido. E o acerta em cheio. 

No entanto, o teor crítico da narrativa vai além da prática escravocrata, alcança um patamar superior à situação brasileira específica. De fato, pode-se vislumbrar na narrativa uma análise do comportamento humano: para salvar uma criança, Cândido permite a morte de outro. Sua fala ao final do conto é bastante significativa: “Nem todas as crianças vingam”. Dessa forma, o ser humano constrói as justificativas para os seus gestos mais baixos, suas atitudes mais reprováveis.

autor: Machado de Assis
movimento: Realismo
Por Fernando Marcílio
Mestre em Teoria Literária pela Unicamp

Fonte: Globo Educação

 

2 Comentários

  1. Qual as partes mais importantes do texto,como um fichamento?

    • Um ponto importante no fichamento – e que deve ser registrado logo no início – é a referência bibliográfica. Consiste no conjunto de elementos essenciais que identificam uma obra, sendo eles: nome do (s) autor (es), título da obra, edição, editora, local e ano de publicação.

      Para os textos lidos em jornais, revistas ou artigos na internet, o endereço do site e a data de consulta são elementos obrigatórios.

      Na elaboração do fichamento é importante que o leitor faça uma primeira leitura. Na segunda leitura deverá então começar a registrar as ideias chave transmitidas pelo autor. Deve certificar-se de que compreendeu muito bem aquilo que leu, pois uma escrita clara e objetiva irá facilitar o estudo.

      Caso seja feita uma cópia literal (exatamente como se lê) de um trecho do texto, este deve ser colocado entre aspas, acrescentando o número da página de onde foi retirado. Assim o leitor saberá de imediato que aquele trecho não está escrito com palavras suas.

      Fichamento e ABNT

      Para elaborar qualquer tipo de fichamento deve ser utilizada a norma ABNT/NBR 6023, pois é o correto uso em textos científicos e para treino ao elaborar outros tipos de trabalhos acadêmicos.

      A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o órgão responsável pela normalização técnica no país, providenciando uma base para o desenvolvimento tecnológico no Brasil. Esta entidade é responsável pelas normas específicas para formatação de trabalhos acadêmicos, artigos científicos impressos, citações, referências quanto à informação e documentação e ainda normas de apresentação do sumário e abstract.

      Para informa coes adicionais, acesse loreni.com.br/vicios-de-linguagem/. Vícios de linguagem são contagiosos em qualquer parte do Mundo. Num país como o nosso, com índices tão altos de analfabetismo funcional e tão baixos de leitura, as barreiras imunológicas frangam mais. Tomar consciência do problema é a melhor vitamina e também o propósito deste link, em seu conteúdo.

      Rejeitar | Responder | Edição rápida | Editar | Spam | Colocar na lixeira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *